sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Tinha mesmo de chover este fim de semana? Tinha? Tinha Pedrocas?



Estou altamente revoltada com o meu amigo Pedrocas (aka S.Pedro para os conhecidos). Raramente me desilude. Sempre que eu tenho algo importante a fazer que depende do estado do clima ele lá mexe os cordelinhos para a coisa ficar compostinha a tempo. Já tive alturas em que choveu a rodos no dia anterior, na noite e na madrugada e depois quando me levantei tudo começou a melhorar. Das duas uma, ou tenho delírios megalómanos de que tenho poderes para mudar o tempo, tendo de ponderar uma esquizofrenia numa ida próxima ao médico, ou então tenho uma relação privilegiada com o Pedrocas (entre as duas, talvez seja melhor do ponto de vista da minha saúde mental aceitar a segunda). Exemplo concreto disso foi o dia em que fui a exame de condução. De noite houve inundações na zona e eu chorava com a ideia de um estacionamento em espinha submerso. Mas, voilá, à hora do meu exame lá veio o sol radioso. Por tudo isto, espero que o Pedrito não me desiluda este fim de semana como antecipam os seus funcionários ao serviço do instituto de meteorologia. Afinal, é o fim de semana de Óbidos e da Vila Natal, fim de semana aguardado, ansiado por estas eternas crianças... No ano passado já lá estive e confesso que fiquei mesmo fã. Não tanto da organização da vila natal mas sim do recanto de óbidos... Cada janela, cada varanda, casa vaso... tudo fica enfeitado para dar as boas vindas ao natal... as ruas têm um encanto e uma luz que nos faz querer ficar lá este mês todo. Passear à noite, no meio de tanta magia, beber a ginginha no copo de chocolate (que a partir de umas quantas acrescenta ainda mais magia à magia) não é a mesma coisa com chuva. No ano que passou só choveu no sábado e não estávamos ainda em Óbidos mas sim na passagem obrigatória pela Quinta das Lágrimas em Coimbra. Porém, aí a chuva foi importante, percebi a mensagem Pedrito. Não nos adianta chorar a morte da "linda Inês, posta em sossego" porque se não morresse às mãos dos "brutos matadores" tinha morrido de pneumonia dada a quase total inexistência de sítios onde se pudesse resguardar da chuva (esta aprendizagem enriqueceu-me muito do ponto de vista de análise da história de Portugal mas também eu sou de compreensão fácil, podias ter mandado só umas pinguitas e não aquele vendaval).  

Assim sendo Pedrito, para que eu traga lindas histórias para contar, fecha lá um bocadito as torneiras este fim de semana pode ser, pode?








1 comentário:

  1. Espero que o teu pedido se estenda a Lisboa. Também dava jeito!

    ResponderEliminar